sexta-feira, 23 de julho de 2010

Podem dizer que eu sou tontinha mas para mim, que não vendo muitos quadros, fazê-lo é emocionante. É como se um pedaço de mim se prolongasse pelo espaço onda a vida de outros seres humanos se desenrola. É uma partilha: eu dou um pouco de mim e quem adquire obras minhas dá-me um mundo de emoções que é difícil descrever. Hoje, na exposição que está a decorrer no elevador do Outeiro em S. Martinho do Porto, vendi o quadro abaixo. Os compradores procuraram saber sobre a concepção da obra e, enquanto durou esta partilha de informação e enquanto eu lhes comunicava as sensações que vivenciava no momento, estive sempre arrepiada. Talvez deva assumir que sou mesmo tontinha, mas foi um momento especial que deu luz e cor ao dia de hoje.

Sem comentários:

Enviar um comentário