domingo, 27 de setembro de 2009

História da Arte Contemporânea

2. O século XX:

  • · A primeira e segunda gerações naturalistas: Henrique Pousão, Malhoa e Columbano.
  • · As vanguardas e os anos de experimentação (1905/1920): fauvismo e expressionismo

Expressionismo

Denominam-se genericamente expressionistas os vários movimentos de vanguarda do fim do século XIX e início do século XX que estavam mais interessados na interiorização da criação artística do que em sua exteriorização, projectando na obra de arte uma reflexão individual e subjectiva. O Expressionismo não se confunde com o Realismo por não estar interessado na idealização da realidade, mas em sua apreensão pelo sujeito. Guarda, porém, com o movimento realista, semelhanças, como uma certa visão anti-"Romantismo" do mundo.

Sob o rótulo expressionista estão movimentos e escolas como o grupo Die Brücke (do alemão: A ponte), as últimas Secessões vienenses e de uma certa forma o fauvismo. A arquitectura produzida por Mendelsohn também é chamada de expressionista.

Numa acepção mais ampla, a palavra diz respeito a qualquer manifestação subjectiva e psicológica da criação humana.

O Expressionismo surge de um desdobramento do pós- impressionismo, recebendo influências de uma série de artistas pertencentes a este período, como o holandês Van Gogh e o norueguês Edvard Munch. Encontra ligações também com certas manifestações do art nouveau e do simbolismo.

Considerando os desdobramentos do Impressionismo, os principais precursores do movimento foram Vincent van Gogh, Edvard Munch e Paul Klee, tal a dramaticidade de suas obras, a importância (e, em certo sentido, a independência) da cor. Ambas as obras propõem uma ruptura formal e ideológica com a Academia e com o Impressionismo. O simbolismo como um todo também influenciou os movimentos expressionistas, em uma outra esfera, devido à importância dada à mensagem oculta na obra.

Características das pinturas

  • Como o interesse do movimento é projectar uma reflexão subjectiva, é comum o retrato de seres humanos solitários e sofredores, onde a intenção é de captar estados mentais, que podem ser vistos em vários quadros de personagens deformadas. Deforma-se a figura, para ressaltar o sentimento.
  • É a arte do instinto, trata-se de uma pintura dramática, subjectiva, “expressando” sentimentos humanos. Utilizando cores irreais, dá forma plástica ao amor, ao ciúme, ao medo, à solidão e à miséria humana.

Para isso a pintura apresenta:

  • Grandes manchas de cores intensas e contrastantes, aplicadas livremente sem respeito pelo real;
  • Temas pesados com fortes preocupações psicológicas (angústia, sofrimento, etc.);
  • Desenho simplificado;
  • Distorção intencional das imagens com o objectivo de obter expressividade;
  • Predominância dos valores emocionais sobre os intelectuais.
  • Pasta grossa, martelada, áspera;
  • Técnica violenta: o pincel ou espátula vai e vem, fazendo e refazendo, empastando ou provocando explosões; 


Principais pintores

Edvard Munch

Otto Dix

Ernst Ludwig Kirchner

Van Gogh

http://pt.wikipedia.org/wiki/Expressionismo


O Grito é uma pintura do norueguês Edvard Munch, datada de 1893. A obra representa uma figura andrógina num momento de profunda angústia e desespero existencial. O pano de fundo é a doca de Oslofjord (em Oslo) ao pôr-do-Sol. O Grito é considerado como uma das obras mais importantes do movimento expressionista e adquiriu um estatuto de ícone cultural, a par da Mona Lisa de Leonardo da Vinci .


Sem comentários:

Enviar um comentário